O QUE É LITERATURA?




Literatura de cordel
O QUE É LITERATURA
Por Paulo Tarciso Freire de Almeida


Amigos, peço licença
Pra lhes dizer com postura
O que vem significar
E o que é literatura
Pois prestem muita atenção
E faça anotação
Já digo nesta abertura.

A palavra tem origem
De littera, em latim
Que significa letra
Ler e escrever, enfim
Por arte ou profissão
Criar um texto ou canção
Um romance ou folhetim.


Existem diversos tipos
De produções literárias
Como a poesia e a prosa
Cada uma em sua área
No romance ou medicina
No Brasil, África ou China
Literaturas são várias.


A literatura técnica
Religiosa também
A política, a jornalística
Educacional que faz bem
A clássica e a erudita
Mas tem também a bendita
Pra quem eu dou nota cem.


Eu falo da popular
E nesta estou me incluindo
Literatura em cordel
Pra homem, mulher e menino
Contar história com rima
É coisa que me fascina
Faz parte do meu destino.


A literatura é arte
De compor e escrever
Prosa e verso e cantoria
Pra alegrar o viver
Seja pro velho ou criança
Em cantoria ou dança
Garanto o que vou dizer.

Se o texto for científico
De ciência vai falar
Não precisa sentimento
Porque só visa informar
Instruir o usuário
O médico no prontuário
Para se atualizar. 

Mas se o texto for artístico
Ele vai dar liberdade
Pra fazer conotação
Ou sentido figurado
“Uma pedra no caminho”
Pode ser viver sozinho
Não ver o sonho almejado.

Passarinho voador
Pode virar um carteiro
O olhar de uma mulher
Pode sim ser um luzeiro
E um homem apaixonado
Ser um rei no seu reinado
Ou plebeu do rei herdeiro.


No período iluminista
Também de clássico chamado
Dois aspectos eram vistos
Ciência e razão lado a lado
A revolução Francesa
Uma luz que foi acesa
Foi mui marcante esse fato.

Já nas produções artísticas
Ganhou-se mais liberdade
Na pintura ou nos textos
Nos quadros a diversidade
Na textura e poesia
O que mais se escrevia
Se via versalidade.


A três leis inflexíveis
Literatura obedece
A primeira é a herança
A outra o sábio esclarece
 Hippolyte Taine afirma
E a história confirma
E o momento enaltece.


Aristóteles já falava
Em sua sabedoria
Que a arte é a “mimese’
Imitar, alegoria
No teatro ou no poema
Usando frase ou fonema
Faça com categoria.


A literatura é
A arte de recriar
O real pro imaginário
E o público fazer pensar
Refletindo e reagindo
O erro não repetindo
Quando se pensa em mudar.

É transformar uma lágrima
Numa imensa cachoeira
E um cálculo no rim
Em uma imensa pedreira
E um vaqueiro aboiando
Num grito herói proclamando
Salvando a pátria inteira.

Esta forma literária
Chamada de poesia
É de fato a mais antiga
E consiste na harmonia
De frases, versos semânticos
Com temas diversos ou cântico
Com rimas em sintonia.

São as peças de teatro
Outra forma literária
Com atores e atrizes
Peças sérias ou hilárias
Que contracenam no palco
Descalço ou com salto alto
Herói, vilã, ordinária.

Seja tragédia ou comédia
Que os gregos iniciaram
Mudanças depois vieram
Pois novos gêneros criaram
Até ópera introduziram
O Drama pra ser preciso
Vários gêneros literários.

Seja ficção ou prosa
O romance por sinal
Estão na literatura
Por ser ela universal
“Dom Quixote de La Macha”
Autor Miguel de Carvantes
 É um marco sem rival.


Conto, romance ou novela
Vai depender da intenção
Da forma e complexidade
Do autor a criação
Basta ser criativo
Também não ser indeciso
E dar à mente vazão.


Romantismo dar lugar
A um grande entusiasmo
No mundo inteiro presente
Hoje, futuro e passado
Afinal falar de amor
É sonho do escritor
Ter ele sempre ao seu lado.

As escolas literárias
Vou citar pois oito são
Primeiro o trovadorismo
Seus destaques cito então
As cantigas de saudade
Que Líricas eram chamadas
De amor, amigo e irmão.

Cantigas de maldizer
De escárnio diz a história
Tempo da idade média
Feudalismo à toda prova
Poucos sabiam ler
Só ricos, vale dizer
Lembro à sua memória.

Classicismo outra escola
Chamada de Quinhentismo
Que foi caracaterizada
Pelo racionalismo
Excluindo a igreja
Da vida em sua peleja
De obras “Os Lusíadas”cito.


Depois veio o Barroco
Desse período eu destaco
A reforma protestante
Contrarreforma de fato
Tempo de inquisição
Que causou a divisão
Da Igreja um grande fato.

Literatura Barroca
No período destacou
Fragilidade da vida
Morte e a religião voltou
Misticismo e erotismo
O pecado e seu castigo
Teocentrismo ecoou.

Arcadismo, outra escola
Que teve como influência
Filosofia francesa
Paganismo por essência
Valores da natureza
Exaltação da pureza
Fugaz a vida e a existência.

Agora eu vou falar
E é sobre romantismo
França, Alemanha e Inglaterra
Iniciaram o período
Influenciando o mundo
E foi um marco profundo
Destaque ao nacionalismo.


Família patriarcal
Nesse tempo era a marca
Amor, paixão, sentimento
Cortava igual uma faca
José de Alencar, escritor
Romance e índio falou
E no Brasil se destaca.


Pra combater os românticos
Surge então o realismo
Enquanto o mundo plantava
Convite ao socialismo
Excluindo o sentimento
Só dar valor ao presente
E prega o materialismo.

França século XIX
O simbolismo surgiu
E suas características
Digo porque me pediu
Ênfase ao misticismo
Também individualismo
Poema e cântico “se uniu”.

A lógica e a razão
Foram desconsideradas
No Brasil, representantes
Duas obras são lembradas:
Foi “Broqueia” e “Missal”
Cruz e Souza foi leal
Dessa escola registrada.

Pra encerrar as escolas
Vou falar do modernismo
Semana da arte moderna
Teve seu marco preciso
Desejo de mostrar ao povo
Brasil real sem renovo
E o pobre cansado e sofrido.

As obras desse período
Euclides Cunha escreveu
 “Os Sertões” falou da guerra
Que em Canudos viveu
E “O Triste fim de Policarpo
Quaresma”um grande marco
Lima Barreto o autor seu.



Teve o Monteiro Lobato
Mostrando o Jeca Tatu
“ O Sítio do Pica-pau”
Sucesso do norte ao sul
O tema nacionalista
Mostrando grandes artistas
E o nosso céu sempre azul.

Mas outros representantes
Dessa escola vou citar:
Oswald Andrade, o primeiro
Mário Andrade, lembrar
Também o Graça Aranha
Segunda fase inda ganha
Outros nomes a completar.

Jorge Amado, o baiano
Teve Rachel de Queiróz
E o Graciliano Ramos
Nordestinos como nós
E a Cecília Meireles
Na lista Murilo Mendes
Que não seguiam a sós.

O Vinícius de Moraes
Chamado de poetinha
“Eu sei que vou te amar”
Bela música e poesia
Érico Veríssimo escreveu
“O tempo e o vento” que eu
O li durante e tardinha.

Encerro aqui meu amigo
Esse tema abordado
Literatura faz parte
Ontem, o futuro e o passado
Ler nos traz conhecimento
E tira do acanhamento
Liberta o homem atrasado.



Leia romance ou poesia
História, o conto ou ficção
   Viagem sem sair do canto
Apenas na imaginação
Quem ler com certeza se livra
Da “algema” e da “escravidão”.

Paulo Tarciso Freire de Almeida
Buíque/PE em 09 de outubro de 2015
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário