AS REDES SOCIAIS


AS REDES SOCIAIS
Por Paulo Tarciso

Neste meu novo trabalho
Falo de um tema importante
São as redes sociais
Que só cresce a cada instante
É uma arma poderosa
Como peixe na desova
 Cada dia mais avante.


Eu uso e você também
Não tem como se esquivar
Seja pra mandar mensagens
Receber ou estudar
Mandar notícias aos amigos
Que de nós são conhecidos
E até pra comemorar.


O dia do aniversário
A rede logo avisa
Quem quiser mandar mensagens
Digita envia e improvisa
E quem está recebendo
Com certeza vai dizendo
Nem preciso de pesquisa.


Pois sei que me enviou
A mensagem ou cumprimento
São amigos de verdade
Então naquele momento
Espera o dia passar
No outro vai digitar
O seu agradecimento.


Ferramenta poderosa
Marca dos dias atuais
É muito usado no mundo
São as redes sociais
E serve pra toda gente
Sendo alguém inteligente
Ninguém segura, jamais.


Pra anunciar produto
Ou para gastar dinheiro
Expor perfumes e carros
Nacionais ou estrangeiros
Tá nas redes sociais
Poderosa até demais
É lucro puro e certeiro.


Pra propaganda política
É uma grande ferramenta
Eleva e também derruba
Tem gente que não aguenta
Mas que é forte e muito usada
Provou a eleição passada
Governante ou “presidenta”.


Se serve para o bem
Pra fofoca é prato cheio
Pra falar da vida alheia
Fazer um grande aperreio
Desmantelar amizades
Fazer intriga a vontade
E até pra galanteio.
  

Serve também pra namoro
E até para casamento
Já vi gente de outro Estado
Entrar em relacionamento
Namorar, noivar e casar
Família nova formar
Usando esse instrumento.


A moça do interior
E um rapaz na capital
Usando o facebook
Se conhecem, é bem normal
Terminam se apaixonando
Pouco depois namorando
Um ao outro é leal.


Depois de uma longa conversa
As famílias se conhecem
Noivando marcam a data
E o casamento acontece
E isso só é possível
Com essa arma incrível
Chamada de internet.


Se de um lado ela ajuda
De outro faz um inferno
Tira o tempo e a atenção
Do livro, lição caderno
Se não tivermos cuidado
Deixa o povo abestado
Faz do verão um inverno. 


Deixa gente igual robô
O dia todo ligado
Se esquece dos afazeres
Outros acabam noivado
Vendo a noiva o dia inteiro
Com o celular entre os dedos
De olho sempre grudado.


As “Fake News” virou moda
É mentira publicada
Tem gente que compartilha
E a notícia é divulgada
Se espalha pelo país
Fazendo vítima infeliz
Mesmo falsa é comentada.


Fazer pose e postar foto
Caras e bocas também
Mostrar uma vida falsa
Que não engana ninguém
As redes não pescam peixe
Mas é de cair o queixo
Quem delas se faz refém.


Achei bom até demais
Explicar com poesia
Um dos melhores sinais
Que quem é bom avalia
Que a cultura é importante
Vou parar neste instante
Adeus, até outro dia!


Buíque, 02 de março de 2020


Nenhum comentário:

Postar um comentário