quarta-feira, 3 de junho de 2020

OLHANDO FOTOS E REFLETINDO SOBRE A VIDA

                  
                     Na tarde de domingo passado, dia 31 de maio de 2020, fazendo uma faxina virtual em meu computador, me deparei com meu álbum de fotografias, onde armazeno milhares de fotos por assuntos. Ao abrir os arquivos cada foto me chamou a atenção sobre um fato curioso. A brevidade da vida.

                      Centenas de amigos que ontem estavam conosco e hoje já não estão mais. Como costuma dizer o cantor e apresentador Rolando Boldrin: “partiram antes do combinado”. Em cada foto, uma recordação, uma saudade. Alguns personagens partiram há mais tempo, outros recentemente. Só para citar alguns deles:

                    Mário Rocha, conhecido popularmente como “Mário Buchudo”, o oficial do cartório do Registro Civil do distrito de Carneiro e também chefe do alistamento militar no município. Voltei aos velhos tempos de quando fui me alistar, no ano de 1982, justamente no dia 23 de março, quando completei dezoito anos e um dia de nascido. Ele, com seus óculos caindo no “pau da venta”, me pediu os documentos e quando foi preencher meus dados, datilografando numa velha máquina Remington, olhando por cima dos óculos, indagou: -Sua profissão?. Como não possuía emprego oficial, respondi:- Não tenho seu Mário. Ao que ele respondeu com cara de abusado: - Não tem o que homem. Quem foi que já viu um rapaz com 18 anos ainda não ter profissão?. Você já fez algum curso?. Respondi: - Sim conclui recentemente o curso de datilografia. - Então você é datilógrafo rapaz, por que não respondeu logo?.

                       Terminado meu alistamento, se aproximou um amigo que também completara 18 anos naquele mês, e foi também se alistar. Seu Mário, ainda de óculos caindo do rosto, recolheu as xerox dos documentos e indagou: -Cadê as fotos? O rapaz entregou três fotos 3x4 preto e branco. O problema era que o jovem era muito cabeludo e o seu Mário, olhando para ele devolveu as fotos e recomendou: - Alistamento militar é para homens e não para mulheres. Vá cortar esse cabelo e tirar outras fotos que essas daí não servem!...

                         Com todo esse jeitão, aparentemente grosso, seu Mário era um homem pacato, brincalhão e por sinal um dos melhores dançarinos que já vi. Nos carnavais de Buíque, mesmo em avançada idade sempre foi um dos melhores foliões, e na Discoteca de Billy Kid, mesmo já perto dos 70, se misturava em meio aos jovens e dançava de tudo: Forró, rock, lambada, reggae, música lenta (Que sempre dançava com suas filhas) e dava lição nos mais moços, pois só parava quando a festa terminava. Era um “velho moço”, como canta Roberto Carlos.

                       Outras fotos de pessoas que vi dentre as milhares foi o saudoso Dr. José Cursino Galvão. Pessoa de fino trato com o povo, principalmente com os mais humildes. Foi prefeito de Buíque e de Arcoverde e mesmo depois de aposentado continuava consultando e medicando a população, as vezes no Sindicato rural de Buíque dirigido por seu Austriclínio Andrade, ou mesmo na praça pública. Qualquer lugar se transformava num consultório, sempre regado de boas conversas e de lições de vida, que aquele senhor dispensava ao povo buiquense. Lembrando que foi ele o responsável pelo calçamento do centro da cidade,durante sua gestão.

                   Continuando minhas visitas no álbum de fotografias, sem adentrar na história de cada personagem, apenas para lembrar como a vida é passageira, cito os amigos Nevile Araújo, Xéu do cartório, Jorge de Clóvis, Marilack (a jovem mais bonita de sua época), Zezinho Dentista, os jovem Cenildo Ramos, Ubiratan Lopes (Bira), Dornélio, Carlos de Neuda. Mais recentemente seu Antonio Mariquita - meu primeiro patrão (Mercado Santo Antonio) e tantos outros que pisaram nosso solo buiquense, fez amizades e história e hoje já não mais estão mais fisicamente em nosso meio. 

                         Para encerrar a lista de saudosos amigos, não poderia deixar de citar a “amiguinha” CLARA LOPES, que eu chamava de “Clarinha”, com quem tive o prazer de participar de vários eventos culturais declamando poesias ao seu lado e que há pouco tempo se transformou em “anjo”, deixando muita saudade, indo aumentar o número de estrelas que brilham em nosso firmamento.  

Eu e Clarinha em festa social "Os melhores do ano".

                   Tudo isso nos mostra que não devemos semear inimizades, brigar por ideologias ou partidos políticos, andar de “nariz empinado” querendo ser mais importante que todo mundo, porque cedo ou tarde, nos transformaremos em poeira, e o que vai ficar são nossas amizades, pelas quais devemos zelar e viver cada dia como se fosse o último de nossas vidas, pois não sabemos o que vem no dia de amanhã.         

                  E VIVA A VIDA!  

Outras fotos de amigos citados nesta matéria:

1-Antonio de Mariquita, 2-José Inácio (Xéu do cartório) e 3-Dr. José Cursino Galvãoo
Mário de França Rocha (Mário Buchudo) - O maior folião de todos os tempos
Seu Austriclínio Bezerra e ZezinhoDentista
                       
1-Cenildo Ramos, 2-Ubiratan Lopes (Bira), 3-Nevile Araújo e Xéu do cartório 
Modernão Futebol Clube. Destaques da publicação: Marilack, Dornélio e Carlos de Neuda



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário