sexta-feira, 25 de maio de 2018

A GREVE DOS CAMINHONEIROS E O DIA EM QUE "A TERRA" PAROU.




       Como hoje não houve expediente no fórum, por causa do protesto dos caminhoneiros, que está acontecendo em todo o país, passei o dia inteiro em casa, lendo e vez por outra assistindo os noticiários pela TV e pela internet.

         Em alguns momentos me lembrei de uma velha canção que fez muito sucesso no ano de 1977, cantada pelo “maluco” Raul Seixas. Trata-se da música “O dia em que a terra parou”. Na letra ele diz que: “o empregado não saiu para o trabalho, pois sabia que o patrão também não estava lá; dona de casa não saiu pra comprar pão, pois sabia que o padeiro também não estava lá...”, e assim prossegue a canção dizendo que a população inteira parou, porque a seu planeta havia paralisado. Muito parecido com o que estamos vendo em nosso país nesses dois últimos dias.

         Indignados com os aumentos praticamente semanais e sem nenhuma justificativa que vem sofrendo os combustíveis, não suportando mais tanta elevação de impostos e coisa e tal, os caminhoneiros resolveram fazer o protesto, já que os “antigos paneleiros” se aquietaram.

         Surpreenderam tanto com o movimento que literalmente paralisaram o país. Postos sem combustíveis, empregados sem transportes para o trabalho, escolas fechadas, hospitais sem determinados insumos, necessários ao dia a dia dos médicos/pacientes e comércio já faltando mercadorias. Nos palácios em Brasília um verdadeiro corre-corre das autoridades em busca não de uma solução, mas de uma “anestesia” com efeitos rápidos. No falar nordetinizado “perdidos feito cego em tiroteio”, terminou tentando paralisar o movimento com as forças armadas, o que até o presente momento não surtiu o efeito esperado. Ora, se até as forças armadas estão insatisfeitas com o rumo do país!.

         Particularmente, fiquei surpreso com a força que essa categoria demonstrou possuir. Se sozinhos ou apoiados pelos patrões, pouco importa, o que interessa são os resultados, que por enquanto não se sabe quais serão, mas só o fato de demonstrarem união, força e coragem, já valeu o movimento, com destaque, de que apesar de tratar-se de um protesto, não vem marcado por depredação do patrimônio público nem com quebra- quebra de bens particulares, como outros ocorridos recentemente. 
 
                Parabéns aos caminhoneiros!.

Nenhum comentário:

Postar um comentário